Projeto Didático de Produção de Texto Coletivo


     Área do conhecimento: Português                                           
·         Gênero Privilegiado: Literário / Contos de Mistério
·         Tipo Textual: Narrativo
·         Período: 3º bimestre - 2011
·         Série: 4ª / 5º ano
·  Produto final: Confecção de Livro com os contos produzidos e exposição dos trabalhos na Mostra Pedagógica.
Autor desta ilustração : Samuel Casal  - Cliente: Editora Scipione 


Introdução

         Saber ler e escrever, na ótica da sociedade contemporânea, não são habilidades suficientes para que o indivíduo seja parte integrante – e agente – dessa sociedade.
         É fato que nos dias em que vivemos, a alfabetização ganha novos horizontes, requerendo que o aprendiz possua, além das competências inerentes ao processo de alfabetização, também aquelas que lhe possibilitará  “ler o mundo” de forma mais dinâmica e eficiente, tornando-o sujeito na construção de seus conhecimentos e ainda, dando-lhe condições para despertar seu sendo crítico, analítico e cooperativo.
         Alfabetizar significa extrair todos os conteúdos inseridos no objeto em estudo. Isto é, o aluno pode, através de uma intervenção apropriada, despertar seus sentidos para construir seus próprios instrumentos de conhecimento, dando-lhe significado real e funcional para aquilo que aprende.
         Trazer para a sala de aula temas do cotidiano do aluno não se resume apenas em preparar aulas que despertem seu interesse. O professor precisa ter claras as idéias de o quê, para quê e por que ensinar determinado conteúdo e onde o aluno poderá aplicar, de forma consciente, tudo o que aprendeu através da construção de novos significados.
         Certos de que esse é o primeiro passo para refletir sobre a prática pedagógica que temos adotado e, na expectativa de atingir o principal objetivo do processo de alfabetização – construir, junto de nossos alunos – as habilidades de leitura, escrita e letramento – adotamos o Projeto que a seguir será enunciado.

1)   Justificativa:

O gênero escolhido pelos professores das quartas séries – contos de mistério – tem como principal objetivo o de intensificar o contato dos alunos com esse tipo textual, ampliando seu repertório de contos narrativos.
Conversar com os alunos sobre histórias que despertam o medo e o suspense possibilita às crianças situações onde é possível verificar, dentro do gênero textual, as principais características do texto, como descrições, cenários, personagens, construindo gradativamente o clímax e  desfecho surpreendentes.
Além disso, as questões apresentadas trabalham a compreensão do texto, solicitando a localização de informações, inferências ou deduções, assim como o uso adequado de recursos como a pontuação expressiva, onomatopéias e palavras que dão sentido e emoção aos textos lidos e produzidos.

2)   Objetivos Gerais:

·         Ler, interpretar, produzir e revisar contos de mistério, de forma individual e coletiva.
·         Confeccionar um livro com os contos produzidos pelas turmas de quarta série, a fim de apresentá-lo na Mostra Pedagógica da escola.

3)   Títulos escolhidos pelas turmas para produção da reescrita coletiva

Série/turma
Título
4ª A
A lenda do cavaleiro sem cabeça
4ª B
O lobisomem
4ª C
O Conde Drácula
4ª D
A noiva cadáver


4)   O que o professor deve garantir no decorrer do projeto
  1. Ler diariamente contos diversos para que os alunos se apropriem do gosto em ler e ouvir.
  2. Garantir o acesso a dicionários e livros paradidáticos, que serão emprestados pela biblioteca da escola e poderão ficar temporariamente na sala de aula, sendo substituídos periodicamente.
  3. Garantir a participação de todos os alunos, inclusive os que ainda não escrevem alfabeticamente, criando agrupamentos produtivos.
  4.  Garantir a participação dos alunos, de forma que eles possam expor suas idéias, trocar experiências, aperfeiçoar suas escritas, ler com mais autonomia, entre outras.
  5. Promover espaço e ambiente favoráveis para leituras diárias, onde os alunos possam compreender a necessidade da atenção e do respeito no momento da leitura feita por si e por outro aluno.
  6.  Propor desafios que façam os alunos colocarem seus saberes em conflito, para resolverem problemas de escrita e estruturação de textos, apropriando-se da linguagem que se escreve.
  7. Incluir a participação dos alunos em todas as retomadas do projeto, resgatando atividades que já foram desenvolvidas em outras oportunidades, para que eles ampliem e construam novos seus conhecimentos.
  8. Dar subsídios para que os alunos façam uso de sua criatividade na produção da reescrita para os contos conhecidos, tecendo tramas, resgatando momentos do conto, analisando seus personagens, idealizando situações onde terão que explorar seus conhecimentos na resolução de problemas.

5) Objetivos específicos

5.1) Em relação aos conteúdos procedimentais:

a) Ler diferentes textos de forma autônoma;

b) Ouvir, ler e escrever contos de assombração;

c) Perceber que os cenários e os personagens são sempre caracterizados para criar um clima de mistério;

d) Aprender a planejar textos orais em situações comunicativas reais ou simuladas;

e) Participar das interações que envolvam os usos da linguagem nas diversas situações do cotidiano escolar, escutando com atenção e compreensão;

f) Grafar corretamente as palavras;

g) Reescrever textos, preocupando-se com concordância verbal e nominal;

h) Pontuar textos analisando as várias possibilidades de organização de um diálogo;

i) Levantar hipóteses sobre o tema ou assunto desenvolvido nos textos informativos;

j) Encontrar informações nos textos, mapas, tabelas e demais portadores textuais;

k) Participar da produção coletiva do conto escolhido pela turma, utilizando diferentes estratégias de criação;

l) Utilizar corretamente a pontuação expressiva, a partir da necessidade de transmitir emoções;

m) Participar da revisão do texto coletivo, usando adequadamente os conhecimentos prévios e os construídos durante o desenvolvimento do projeto.

n) Ilustrar o texto, representando artisticamente suas emoções e sentimentos em relação ao conto trabalhado.

o) Publicar os textos produzidos e ilustrados pelas turmas, a fim de apresentá-los na Mostra Pedagógica da escola.


5.2) Em relação aos conteúdos atitudinais:

Valorizar a leitura como fonte de informação, lendo para aprender;

b) Interessar-se pela escrita, como instrumento de interação;

c) Desenvolver um comportamento leitor, valorizando diferentes gêneros textuais;

d) Desenvolver atitudes de escuta de textos, compreendendo seus possíveis significados e mensagens;

e) Valorizar a cultura popular, percebendo sua influência em usos, costumes, superstições e tradições orais de determinado povo.

f) Perceber as emoções, sensações e sentimentos transmitidos pelos textos do gênero trabalhado. Participar de maneira colaborativa no desenvolvimento do projeto, mostrando interesse, respeito e disposição em efetivar as atividades propostas. 

g)Participar de maneira colaborativa no desenvolvimento do projeto, mostrando interesse, respeito e disposição em efetivar as atividades propostas.


6)   Etapas previstas

  • Apresentar o Projeto para os alunos, ouvindo suas sugestões, levantando seus conhecimentos prévios e idealizando a participação na produção de um livro de contos.
  • Ler, diariamente, contos variados, para despertar o gosto pela leitura e ampliar seu repertório (leitura feita pela professora).
  • Listar com os alunos os contos mais conhecidos e apreciados pela turma.
  • Pesquisar novas e antigas histórias, explorando os livros do acervo da escola.
  • Desenvolver atividades de interpretação de texto, localizando informações, seqüências de fatos, etc.
  • Desenvolver atividades de análise e reflexão sobre a língua, incluindo tarefas que explorem ortografia e gramática.
  • Produzir um texto narrativo, tendo como base o conto escolhido pela turma, sendo o professor escriba e mediador dos desafios que se apresentarão no decorrer da produção coletiva.
  • Revisar, coletivamente, o texto coletivo, junto dos alunos, enfocando a ortografia.
  • Revisar coletivamente um texto bem escrito, enfocando a pontuação usada pelo autor.
  • Produzir reescritas para o conto escolhido.
  • Revisar, individualmente e coletivamente, os textos produzidos pelos alunos.
  • Ilustrar o conto produzido pela classe.
  • Participar da publicação e exposição do Livro de Contos da escola. 
7) Encaminhamentos necessários

7.1) Atividades Permanentes de Produção de Texto individual ou em grupos


O que o professor precisa fazer:

a)Agrupar os alunos, ajustando o nível de desafio às suas possibilidades, para que tenham problemas a resolver;

b)Propor a tarefa aos alunos;

c)Solicitar aos alunos que socializem as produções escritas;

d)Dar um destino para as produções dos alunos quando o destinatário for real.

O que os alunos precisam saber:
a)O gênero que irão produzir; 

b)O assunto; 


c)Quem será o destinatário de sua escrita (pode ser real – alunos da classe, pais, mural da escola, etc), ou virtual – personagens do conto.


O que os alunos precisam fazer:

a)Ouvir a leitura da proposta feita pelo professor; 

b)Escrever o que foi solicitado; 

c)Discutir a escrita com o parceiro; 

d)Reler seu texto durante e depois da produção; 

e)Revisar seu texto com a intervenção do professor e/ou dos colegas. 

f)Compartilhar sua produção com os colegas.



7.2)Atividades Permanentes de Produção e Revisão de texto coletivo tendo o professor como escriba

O que o professor precisa fazer


a)Propor a produção da reescrita coletiva do conto que a turma escolheu, explicando que a mesma será produzida com a ajuda de todos os alunos. Para isso, ele deve propor alguns combinados a serem seguidos no decorrer da tarefa.


b)Planejar a reescrita, de modo que a mesma contemple entre 2 ou mais aulas, garantindo o tempo suficiente para que não se torne cansativa nem repetitiva.


c)Preparar o material necessário para registro da produção do texto e guardá-lo para aulas futuras (revisão);


d)Atuar como escriba dos alunos, estabelecendo quais habilidades devem ser contempladas durante a reescrita. Se o objetivo estiver focado na ortografia, por exemplo, esse aspecto deve receber maior atenção.


e)Garantir a participação efetiva de todos os alunos na produção oral e na revisão do texto, considerando inclusive daqueles que apresentam dificuldade em expor suas idéias.
f)Garantir que a produção escrita feita pelo professor atenda às necessidades de aprendizagem dos alunos;


g)Elencar os focos de revisão do texto, de modo que não ocorra acúmulo de aspectos a serem revisados. Para isso, durante a produção o professor já pode iniciar o processo de revisão do texto.




O que os alunos precisam saber


a)Que a produção de um texto coletivo pode gerar conflitos de opiniões e idéias e portanto, é necessário saber ouvir e esperar sua vez para dar sugestões.

b)Que a produção de um texto bem escrito faz parte de um processo contínuo de escrita, leitura e revisão, até que esteja pronto para ser publicado.

c)Que serão solicitados a demonstrar seus conhecimentos durante a produção do texto.


O que os alunos precisam fazer



a)Participar da reescrita oralmente, observando os critérios usados pelo professor como modelo de escritor.

b)Registrar as etapas da reescrita no caderno, garantindo sua consulta nas aulas posteriores.

c)Trabalhar de maneira colaborativa com aqueles que ainda tem dificuldades em produzir textos orais.


8) Orientações para a Avaliação 

8.1) Processos avaliativos - o que avaliar?

a) Em relação à linguagem oral

Habilidades gerais do aluno como falante:

· Expõe suas idéias e conhecimentos?

· Formula perguntas e respostas com clareza?

· Explica e defende seus pontos-de-vista?

· Expõe suas dúvidas?

· Leva em conta a finalidade de sua fala e o seu interlocutor?

· Gosta de ler textos em voz alta para os outros?

b) Habilidades gerais do aluno como ouvinte:

· Sabe sua hora de falar e ouvir?

· Ouve a fala alheia?

· Tem concentração em quem fala?

· Percebe e explicita a finalidade da fala alheia? Gosta de ouvir textos lidos ou contados por outros?


b) Em relação  às competências leitoras:

Habilidades gerais do aluno como leitor de textos diversos (ficcionais e não-ficcionais):

· Usa estratégia de antecipação através do portador/suporte de texto, do título, do autor, do gênero, da ilustração?

· Usa estratégia de inferência, levando em conta o contexto?

· Socializa sua leitura por iniciativa própria?

· Socializa sua leitura por solicitação de outros?

· Percebe a intencionalidade do autor?

· Lê em voz alta com fluência (depois de ter compreendido o texto)? Socializa quais tipos de texto gosta de ler?

· Expõe suas dúvidas?

· Leva em conta a finalidade de sua fala e o seu interlocutor?

· Gosta de ler textos em voz alta para os outros?

Habilidades gerais do aluno como ouvinte:

· Sabe sua hora de falar e ouvir?

· Ouve a fala alheia?

· Tem concentração em quem fala?

· Percebe e explicita a finalidade da fala alheia? Gosta de ouvir textos lidos ou contados por outros?


d) Em relação à produção de textos escritos:

· Relaciona a produção com a situação: finalidades do autor, gênero e interlocutor?

· Faz da produção um processo de trabalho no qual estão presentes várias etapas e suas versões do texto?

· Atende à modalidade textual solicitada, elaborando diversos tipos de textos de acordo com sua função social?

· Desenvolve o tema proposto, mantendo a coerência textual e usando recursos coesivos?

· Segmenta o texto de acordo com sua especificidade?

· Tem domínio relativo da ortografia, da acentuação e da pontuação?Fundamenta suas opiniões e respostas?

· Lê em voz alta com fluência (depois de ter compreendido o texto)? Socializa quais tipos de texto gosta de ler?




Bibliografia 


BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais para as 4 primeiras séries do Ensino Fundamental. Brasília, 1997.

FERREIRA, Aurélio B. de Holanda. Miniaurélio Século XXI. Rio de Janeiro. Nova Fronteira, 2001.

LERNER, Delia. Ler e escrever na escola: o real, o possível e o imaginário. Porto Alegre, Artmed, 2002.

PERRENOUD, Philippe. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

PRÓ-LETRAMENTO: Programa de Formação Continuada de Professores dos anos/séries iniciais do Ensino Fundamental. Secretaria de Educação Básica – Brasília: Ministério da Educação, 2007. 



TEBEROSKY, Ana. Psicopedagogia da linguagem escrita. 3ª edição. São Paulo, Trajetória Cultural, 1990.

WEISZ, Telma. In Curso LETRA E VIDA – Programa de Formação de Professores Alfabetizadores. Apostilas, 2006.

______. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo, Ática, 2006.

______. Por trás das Letras. São Paulo, FDE, 1994.



Abaixo estão algumas sugestões de sequências de atividades didáticas para o nosso Projeto "Contos de Mistério". Vale lembrar que as páginas foram escaneadas de livros didáticos, e suas referências bibliográficas seguem ao final desta postagem. Espero que sejam úteis e possam colaborar com o enriquecimento de nossas aulas.
































































Atividades retiradas dos livros:

  • Língua Portuguesa, 4ª série, Editora Moderna
  • Português, Projeto Pitanguá, 4º ano, Editora Moderna
  • Língua Portuguesa, Projeto Conviver, 5º  ano, Editora Moderna
  • Língua Portuguesa, Projeto Prosa, 5º  ano, Editora Saraiva
  • Língua Portuguesa, De olho no Futuro, 4º ano, Editora FTD



Sessão: Contos de Mistério, Assombração e Suspense....

http://stg2.novoser.com.br/Imagens%20Abril/obra/capa/9788508087112.jpg

Contos de enganar a morte
Aplicação: Paradidáticos-Literatura Infantil|Literatura Juvenil-Ensino Fundamental I|Ensino Fundamental IIParte da coleção Folclore
Autor e Ilustrador: Ricardo Azevedo
Quatro pessoas que recebem a visita da morte usam a criatividade para driblar a indesejada das gentes.











http://stg2.novoser.com.br/Imagens%20Abril/obra/capa/9788526248175_C.jpg


O médico e o monstro

Parte da coleção Reencontro Infantil - Editora Scipione
Adaptador:
Autor:

O denso nevoeiro londrino esconde um mistério. O diabólico senhor Hyde é capazde tudo para satisfazer seus impulsos. Na mesma cidade, vive o doutor Henry Jekyll, respeitado médico disposto a aliviar a dor e o sofrimento de seus pacientes


http://stg2.novoser.com.br/Imagens%20Abril/obra/capa/9788526252080_C.jpg


O fantasma de Canterville

Parte da coleção Reencontro Infantil - Editora Scipione
Autor:
Sir Simon é um fantasma infeliz e já não sabe o que fazer. Deve amedrontar as pessoas, mas a família americana que veio morar no castelo de Canterville não crê em aparições sobrenaturais. O pior é que os gêmeos Listinha e Estrelinha não têm medo de nada. São eles que acabam assustando o fantasma, que vaga pelos corredores triste e preocupado.





Nenhum comentário:

Não deixe de assistir...

Loading...